Atuação da PM contra criminalidade resulta em apreensão de oito toneladas de drogas no Oeste da Bahia

A Polícia Militar realizou uma das maiores apreensões de drogas na Bahia e a maior já registrada na região Oeste. Mais de oito toneladas de maconha foram localizadas na Fazenda Caraíbas, na região de Pajeú, no município de Oliveira dos Brejinhos, por policiais do Comando do Policiamento da Região Oeste, Rondesp Oeste e Cipe Cerrado. Até o momento, nenhum suspeito foi preso.

O montante apreendido, que se encontra no Comando do Policiamento da Região Oeste (CPRO), em Barreiras, tem um valor estimado em R$ 17 milhões. Também foram apreendidos fogos sinalizadores, armas, balança de grande porte, carros e motocicletas. Para o recolhimento e carregamento das 400 embalagens de maconha encontradas, os policiais precisaram utilizar equipamentos como retroescavadeira e caminhões. A droga recolhida encontra-se  

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Paulo Coutinho, que desembarcou em Barreiras, nesse domingo (5), para verificar o resultado da ação, afirmou que foram 40 policiais diretamente envolvidos na operação. “Nós cumprimos a nossa missão de trazer segurança para a sociedade. A nossa obrigação é servir e proteger a população sempre. Esta é a missão da Polícia Militar da Bahia. A PM está preparada para fazer frente a qualquer investida criminosa. A operação no Ostes baiano é fruto de um trabalho interagências e de inteligência muito proveitoso”, avaliou.

O rastreamento da droga foi realizado pelo serviço de inteligência da Polícia Militar com o suporte da Polícia Federal. “Houve um esforço conjunto da Polícia Militar, através do serviço de inteligência, com o compartilhamento de informações entre a Polícia Federal, a Polícia Militar do Estado de Goiás e a Secretaria Nacional de Segurança Pública, que dava conta da existência de uma grande quantidade de drogas em uma propriedade rural em Oliveira dos Brejinhos. Diante da situação, a força-tarefa foi deslocada para a localidade, onde foram feitas as buscas. Usamos drones, cães farejadores e, após dois dias de operação, encontramos locais onde o material estava escondido”, detalhou o major Giovanni Castro.

Fonte: A Tarde

Comentários Facebook
Compartilhe essa notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *