Bahia sofre sexto aumento no preço da gasolina e diesel

Prepare o bolso, porque o preço da gasolina vai subir de novo. De acordo com o Sindicato do Comércio de Combustíveis, Energias Alternativas e Lojas de Conveniência do Estado da Bahia (Sindicombustíveis Bahia), distribuidoras e postos de combustíveis foram informados do sexto aumento dos preços da gasolina e do diesel na manhã deste sábado (26).

De acordo com o sindicato, que representa os revendedores baianos de combustíveis, a Acelen, operadora da Refinaria Mataripe, aumentou em R$0,15 o preço do litro da gasolina A, e em R$0,56 o preço do litro do diesel S10 para as distribuidoras. 

A queixa do sindicato é de que, enquanto a gasolina é vendida pela Acelen na Bahia por R$ 4,24 o litro, enquanto o mesmo produto é comercializado em Ipojuca (PE), a mais de 1.000km de distância de São Francisco do Conde, onde está a refinara, por R$3,75. “A diferença dos preços da gasolina vendida pela Acelen em relação às refinas da Petrobras é de R$0,30 a R$0,47 centavos”, diz o presidente do Sindicombustíveis Bahia, Walter Tannus Freitas. 

Além disso, no caso do diesel, segundo informa o Sindicombustíveis, a diferença do S10 vendido pela Acelen em comparação a outras refinarias é R$0,43 a R$0,68. “Como o Estado da Bahia tem o ICMS mais caro do Brasil, na comercialização do diesel S10 isto faz com que o custo do produto, adquirido pelas distribuidoras junto à refinaria, tenha uma diferença que varia de R$0,50 a R$1,18. O Estado de Pernambuco, que faz fronteira com a Bahia, a diferença de preços do mesmo produto vendido pela Acelen chega a R$ 0,99 centavos”, informa Tannus.

Procurada, a Acelen informou que “os preços dos produtos produzidos pela Refinaria de Mataripe seguem critérios de mercado que levam em consideração variáveis como custo do petróleo, que é adquirido a preços internacionais, dólar e frete”.

Acrescentou ainda que “nos últimos 26 dias, com o agravamento da crise gerada pelo conflito entre Rússia e Ucrânia, o preço internacional do barril de petróleo disparou, superando os US$120 por barril, o que gerou impacto direto nos custos de produção”, e que “reafirma sua aposta em uma política transparente, amparada por critérios técnicos, em consonância com as práticas internacionais de mercado”.

O reajuste, segundo informado pela Acelen, será de 12,5% para o Diesel S10 e 3,7% para a Gasolina A, enquanto o Diesel S500 não sofre mudanças no preço. Diante do aumento, a refinaria já começa a vender os combustíveis às distribuidoras com o novo reajuste a partir de hoje. Já a decisão de repassar os aumentos ou não aos consumidores – ou seja, aumentar ou não o preço na bomba de gasolina para quem abastece – cabe às distribuidoras e a cada posto revendedor, à medida que forem sendo abastecidos com novos valores estabelecidos pela refinaria. O Sindicombustíveis Bahia reforçou que não interfere no mercado e respeita a livre concorrência.

Fonte: Correio*

Comentários Facebook
Compartilhe essa notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *