Secretário de João Dourado morre em tentativa de assalto a carro forte em Salvador e menino de 13 anos mata mãe e irmão!

 

O secretário de Transportes do município de João Dourado, Marcos de Oliveira, morreu após ser vítima de um latrocínio no início da tarde desta sexta-feira (18), na Ceasa, em Simões Filho. O secretário estava em um veículo acompanhado do vereador Marcos Cardoso (PL), quando foi interceptado por quatro homens a bordo de um outro carro, que deram voz de assalto.

Os assaltantes fizeram o secretário e o vereador de reféns, mas um carro forte passou no momento da ação. A equipe de segurança colidiu o carro forte contra os veículos e iniciou-se uma troca de tiros. Os criminosos abandonaram o local e, na fuga, atiraram contra o carro das vítimas. Um dos disparos atingiu Marcos de Oliveira, que foi socorrido para a UPA de Simões Filho mas não resistiu ao ferimento.

De acordo com a Polícia Militar, rondas foram realizadas na área mas nenhum suspeito foi encontrado. Segundo informações da guarnição que atendeu a ocorrência, a 49º CIPM/São Cristóvão, os criminosos fugiram a pé pela BA-526, em direção ao bairro Barro Duro.

De acordo nota emitida pela Prefeitura de João Dourado, Marcos era um homem de fé, pai exemplar, amigo dedicado e servidor respeitado neste município, o qual servia com excelência desde 2017.

Nossos sentimentos a toda família.

Após ser proibido de usar o celular, menino de 13 anos mata mãe, irmão e fere o pai

Um menino de 13 anos confessou que matou a tiros a mãe, de 47 anos, e o irmão mais novo, de 7, e feriu gravemente o pai, de 57 anos, no último sábado (19/3) em Patos, na Paraíba. Segundo o depoimento, ele cometeu o crime porque a família o proibiu de usar o celular para jogar e para conversar com os amigos e porque era pressionado por notas boas.

O pai do menino, policial militar reformado, foi à farmácia comprar um remédio para a esposa e, pouco antes de sair de casa, retirou o celular do menino, no que foi definido pela criança como sendo “a gota d’água” que desencadeou o crime.

Quando o pai retornou da farmácia, já encontrou a esposa morta, baleada quando estava deitada. Encontrou o filho com a arma na mão e pediu para ele soltar o revólver. Ao invés disso, o menino atirou no pai e o atingiu no tórax, deixando-o gravemente ferido.

Com o barulho dos tiros, o irmão do suspeito, de sete anos, correu para abraçar o pai. Acabou sendo baleado pelas costas e morrendo no local.

Ainda de acordo com o delegado, o suspeito, depois dos tiros, guardou a arma do pai e ligou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O pai foi levado para o hospital e está internado em estado grave.

No início, a criança negou o crime. E a própria polícia achava, a princípio, que ele era vítima, sobrevivente de uma chacina. Depois, contudo, no desenrolar das investigações, ele foi apontado como suspeito. E, na delegacia, acabou confessando.

A criança está na carceragem da Polícia Civil de Patos aguardando audiência de apresentação. Segundo o delegado, é provável que ela seja internada provisoriamente em medida provisória contra menor infrator. Após a apreciação judicial, ele deve ser ser enviado para o Centro Especializado de Reabilitação de Sousa.

Comentários Facebook
Compartilhe essa notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *